VERME

Neste momento os pássaros,aqui,
Já não cantam ...
Já não existem ...
Sinto a luz obscurecer os sentimentos,
Sinto de leve a mão do tempo
Tocar-me o rosto.
A úmida parede afaga-me
Em lembranças conturbadas
Por um odor de carne fétida
Por um odor de saudade espontânea ...
A terra escorrega livre...
Os homens passeiam livres ...
Procuram os braços, as pernas ... perdidos!
Os homens não procuram o verme
Que a vida em mim fez nascer.

MFSS  em 1988, as vitimas de uma tragédia no Brasil,
            em 2011, as vítimas  do terremoto no Japão.

Comentários

Postagens mais visitadas