sábado, 22 de outubro de 2011

AUSÊNCIA

Não é saudade
Que passeia aqui.
Talvez um vazio
De cama  esquecida.
Um barulho familiar
Que  já não se ouve.
São rimas de saudade
Que despertam de cada
Detalhe do passado.

MônicaFSSoares

CANTEIRO

Lá fora ouço
O estralar do verso:
São canteiros meigos
De sorrisos infantis.
Que brincam de rimar
De aderir
Pensamentos absurdos
De um poeta gelado.

MônicaFSSoares

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O ATO DA POESIA

"Poesia é o acaso do amor
na eutanásia da recordação."

Croce

NÃO SEI ...

                                                                                                         Para meu Leo

Não sei o que dizer do amor
Que  me encanta ...
Por enquanto as dores passeiam  sorrindo ...
Acordo dentre as madrugadas
Para  sentir o perfume
Que me envolve ...
Ainda assim,
Não sei o que dizer do amor
Que me encanta....
Não sei ...

01/1990
MônicaFSSoares

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

É NOITE !

É noite e os poetas
Acordam...
O espírito poético
Suaviza o ar que respiro.

É noite e os poetas
Acordam ...
Suas mãos pesadas
Cravejam o papel de piadas.

É noite e os versos
Transbordam...

É no  silêncio da noite
Num quase nada
Que vivem os poetas!

LONGE

Longe escuto o grilar
Do devaneio.

Longe escuto o latir
Do desespero.

Mais longe um coração
Dorme solteiro.

Longe,longe,longe
O mar me acalma
O medo.

MônicaFSSoares